Atenção Plena: os bons resultados desta meditação

Encontros, astrologia
Que tipo de encontros queremos ter?
27 de agosto de 2018
Planetas, sistema solar
Astrologia: Planetas RETRÓGRADOS
31 de agosto de 2018
Mostrar todos

Atenção Plena: os bons resultados desta meditação

Meditação, meditar

“Na maioria das vezes esse processo natural do envelhecimento é visto como negativo. Mas pesquisas mostram que meditar pode mudar essa realidade e trazer  bem-estar às pessoas”.

Estudos já demonstraram que doenças e limitações não são consequências inevitáveis e exclusivas da velhice. Elas, na verdade, dependem também do conhecimento que as pessoas têm sobre prevenção e estímulo de hábitos saudáveis.

Imagine que alguém lhe ofereça um remédio, com ele você poderá melhorar o seu foco, sua atenção, o seu humor, conseguirá prevenir doenças do coração, como por exemplo o infarto do miocárdio, conseguirá também prevenir doenças do cérebro, como Alzheimer, e se por acaso sofrer de depressão, ou tiver crises de ansiedade, poderá ter a melhora desses sintomas, dentre outros tantos benefícios… Imagine também, que esse remédio não tem contra indicação e nem custa caro. Você aceitaria? Imagino que a resposta seja sim.

Curiosamente nós conhecemos e temos o nome desse remédio, estamos falando da MEDITAÇÃO.

Alguns dos maiores avanços na ciência, nos dias atuais, são justamente em terapias, em que não se utiliza dos medicamentos tradicionais, são terapias que envolvem mudanças no estilo de vida, no comportamento diário. A meditação tem o maior número de estudos científicos que comprovam sua eficácia e todos os seus benefícios.

Ao praticar a meditação com certa frequência, seu cérebro pode desenvolver a NEUROPLASTICIDADE — um termo novo da neurociência que significa que, ao longo de sua vida, seu cérebro pode melhorar, mudar e crescer. Assim como há um aumento do volume muscular ao praticar exercícios físicos, há um aumento da quantidade mensurável das células cerebrais ao se praticar a meditação.

A meditação do ponto de vista cerebral é uma espécie de capacidade de prestar atenção na sua própria atenção, não é uma coisa fácil, no entanto, se você adotar essa prática na sua vida, você irá melhorar todas as dimensões do seu cotidiano.

Como se faz isso? Existem vários tipos de meditação, hoje em dia, uma das mais estudada pela ciência, com grandes centros universitários pelo mundo a fora é a ATENÇÃO PLELA, ou o termo em inglês MINDFULNESS.

O mindfulness é um conceito que tem as suas raízes nas práticas meditativas orientais (Budistas) e que se refere a uma forma específica de (prestar) atenção. A sua prática requer a presença de três elementos-chave:

1) atenção concentrada no momento presente;

2) intencionalidade;

3) ausência de julgamento.

É uma abordagem especialmente utilizada para lidar com o emaranhado de pensamentos e sentimentos sobre o passado ou o futuro, assim como sobre racionalizações que nos levam a perder o contato com o que está a acontecer no momento presente e a viver num estado designado por “piloto automático”. Tal estado dificulta à pessoa lidar de maneira flexível com os acontecimentos do momento, sobretudo aqueles mais adversos e exigentes.

Veja como é fácil, podemos começar com a chamada “prática dos 3 passos”, cada passo com a duração de aproximadamente 1 minuto (pode ser um pouco mais, ou um pouco menos, depende de você):

Vamos praticar!
  • Coloque-se em uma posição confortável, deixe seu corpo se acalmar. Lentamente vá levando a sua atenção para o seu corpo, que pode incluir as sensações físicas (contato com o chão ou cadeira, a temperatura corpora, possíveis pontos de tensão, etc.), como também a percepção de pensamentos ou emoções que eventualmente estejam presentes nesse momento;
  • Gradualmente comece a levar a atenção de modo um pouco mais focado para as sensações e movimentos da respiração – movimento do tórax e do abdome na inspiração e na expiração do ar; ou ainda a sensação do ar entrando e saindo pelas narinas. É importante seguir o fluxo natural, sem tentar alterá-lo, apenas observando-o. faça isso por um tempo;
  • Antes de acabar, traga novamente a atenção e a observação para as sensações de todo o corpo, podendo incluir a percepção do local em que você está, assim com também os sons e a temperatura, abra os olhos lentamente.

Existem outras várias formas de praticar,  invista alguns momentos, isso vai mudar a sua vida por completo, não é tão difícil, também não é uma coisa que vai acontecer da noite para o dia, mas verás resultados, é como quando iniciamos a pratica de atividade física, no começo cansa um pouco, as vezes incomoda, mas depois que se acostuma isso muda a sua vida e a transforma para melhor.

Para concluir, posso dizer com certeza, para termos uma velhice com qualidade de vida (não só na velhice, mas em todo o nosso período de existência), deixo 2 dicas preciosas, em primeiro lugar praticar atividade física regular, é do ponto de vista cerebral a melhora coisa a fazer e em segundo a meditação, pois é muito simples, não tem efeito colateral e tem o poder de transformar não apenas o indivíduo, mas a sociedade como um todo.


Aproveite para ler: Laços de amizade aumentam nossa expectativa de vida


Cadastre abaixo o seu e-mail e receba os destaques do nCiclos

Cláudia Guastelli

Graduada em Educação Física e pós-graduada, é especialista em atividade física e qualidade de vida para o Idoso. Diretora Executiva da Celebre, empresa especializada no desenvolvimento de programas de Qualidade de Vida e da Terceira Idade. É também Coach e autora de diversos artigos e livros.

“O envelhecimento deve ser visto como um novo ciclo, ele traz a percepção do nascer de outro horizonte. Só assim é possível positivar o envelhecimento e aproveitar tudo que este novo momento da vida tem para oferecer. ”

Saiba mais sobre Cláudia

Cláudia Guastelli
Cláudia Guastelli
Graduada em Educação Física e pós-graduada, é especialista em atividade física e qualidade de vida para o Idoso. Diretora Executiva da Celebre, empresa especializada no desenvolvimento de programas de Qualidade de Vida e da Terceira Idade. É também Coach e autora de diversos artigos e livros. “O envelhecimento deve ser visto como um novo ciclo, ele traz a percepção do nascer de outro horizonte. Só assim é possível positivar o envelhecimento e aproveitar tudo que este novo momento da vida tem para oferecer. ” Saiba mais sobre Cláudia
0