Em tempos de crise é possível comer bem e economizar

Expansão
A riqueza como expansão humana
12 de setembro de 2018
perdidos
Cuide de seus achados e esqueça seus perdidos.
20 de setembro de 2018
Mostrar todos

Em tempos de crise é possível comer bem e economizar

Economizar

O descontrole financeiro é um dos principais fatores de estresse e a alimentação está entre as maiores despesas no orçamento familiar. A boa notícia é que, com alguns hábitos, é possível economizar, reduzir o estresse e ainda comer com mais qualidade.

Em setembro, no dia 23, é comemorado o Dia Mundial de Combate ao Estresse. Em níveis adequados, o estresse tem seu lado positivo, ele pode, por exemplo, aumentar nosso estado de atenção em situações de risco. Mas, em níveis elevados e de forma crônica, o estresse pode afetar nosso bem-estar, contribuindo para o aparecimento de doenças e até prejudicando nossas relações pessoais e profissionais.

Muitos fatores podem contribuir para aumentar nosso estresse e, na atual crise, o dinheiro está entre os principais fatores. Por conta disso, listamos alguns hábitos que podem ajudar a economizar dinheiro garantindo a qualidade nutricional da alimentação. Confira:

Coma mais alimentos naturais e menos ultraprocessados.  

A ideia de que alimentação saudável custa caro é criada pelo alto preço de alimentos ultraprocessados vendidos com o apelo de “saudável”. Os cálculos realizados com base nas Pesquisas de Orçamentos Familiares do IBGE mostram que, no Brasil, a alimentação com comida de verdade, baseada em alimentos naturais e minimamente processados, como arroz, feijão, verduras, legumes, carnes, ovos e laticínios, é mais nutritiva e mais barata do que a alimentação baseada em alimentos ultraprocessados, como pratos prontos congelados, refrigerantes, bolachas, chocolates, etc. Deixe de lado o que é supérfluo na alimentação e foque no que realmente é necessário no seu prato.

Vá à feira e aproveite a “hora da xepa”!

Os preços dos alimentos comprados na feira ou em “sacolões ou “varejões”, são muito inferiores aos preços dos supermercados. No fim de feira, conhecido como “hora da xepa”, os feirantes sempre fazem promoções para vender o que sobrou, reduzindo o preço em até 50% do valor vendido no começo da feira. Além disso, sempre é possível negociar, principalmente se você comprar mais alimentos na mesma banca! 

Compre alimentos da época.

Consumir alimentos no período de safra é excelente para economizar, pois eles são vendidos a valores muito menores do que nos outros períodos do ano, pois são produzidos em maior escala e a concorrência entre produtores faz o preço cair! Além disso, os alimentos da estação crescem naturalmente, sem precisar de produtos para acelerar seu crescimento, o que favorece a produção de nutrientes, deixando o alimento mais nutritivo, bonito e saboroso. No site do Ceagesp você encontra uma tabela com o período de safra de frutas, verduras legumes, temperos e pescados. Mas, na dúvida, é só procurar pelas hortaliças que estão mais baratas.

Compre em armazéns cerealistas atacadistas e varejistas.

Em São Paulo, por exemplo, a Zona Cerealista, que fica próxima ao Mercado Municipal, é um local onde se concentram diversas lojas de alimentos naturais vendidos a granel, como castanhas, frutas secas, cereais integrais, dentre outros. A região é conhecida pelos preços baixos. Se não der para ir até lá, é possível comprar os produtos de muitas lojas no site Zona Cerealista Online®,  com preços semelhantes aos vendidos na loja física e com a vantagem de que os produtos não ficam expostos ao público e ao ambiente.

Aproveite todas as partes dos alimentos.

As cascas, os talos e as folhas das hortaliças, por exemplo, podem ser utilizados em tortas, sopas, sucos e muitas outras preparações. Embora esse aproveitamento não seja um hábito comum, saiba que boa parte dos nutrientes estão nessas partes menos nobres e, infelizmente, vão parar no lixo. Existem muitos livros de receitas sobre esse tema, confira nossa sugestão aqui.

Cozinhe!

Comer fora de casa está cada vez mais caro, por isso, cozinhar é uma excelente forma de economizar e ainda comer melhor, priorizando o preparo de alimentos frescos. Se você não tem habilidades culinárias, procure adquiri-las. Para isso, converse com as pessoas que sabem cozinhar, peça receitas a familiares e amigos, consulte a internet e… comece a cozinhar! Recomendamos o site Panelinha, recheado de receitas práticas, saudáveis e deliciosas para o dia a dia!

 Leve marmita!

Para reduzir as despesas com as refeições feitas no trabalho, a melhor opção é levar comida de casa, mas, para isso, é preciso cozinhar! Se levar marmita não for uma opção, opte por restaurantes que oferecem comida a quilo, capriche nas folhas cruas e reduza as carnes para deixar o bolso mais leve e a alimentação mais saudável!

Existem muitas formas de economizar com a alimentação, mas nem tudo é possível pra todo mundo. Comece a anotar sua alimentação e suas despesas com o que come. Assim, é possível ver com mais clareza o que você pode mudar para economizar dinheiro e ainda melhorar sua alimentação e reduzir o estresse com as finanças!


Aproveite para ler: Sustentabilidade no prato: comer é um ato político!


Cadastre abaixo o seu e-mail e receba os destaques do nCiclos

Neusa Moura & Bianca Iuliano

Nutricionistas, formadas na USP, sócias e diretoras da NB Nutrição e Bem-estar, consultoria especializada em programas e atividades de educação alimentar para empresas e escolas.

“Pretendemos criar experiências e despertar a consciências das pessoas para a construção de uma boa relação com a comida, resgatando o valor da comida e do comer como fonte de prazer e saúde, em seu aspecto amplo: bem-estar físico, mental e social.”

Saiba mais sobre Neusa e Bianca

Neusa Moura & Bianca Iuliano
Neusa Moura & Bianca Iuliano
Nutricionistas, formadas na USP, sócias e diretoras da NB Nutrição e Bem-estar, consultoria especializada em programas e atividades de educação alimentar para empresas e escolas. “Pretendemos criar experiências e despertar a consciências das pessoas para a construção de uma boa relação com a comida, resgatando o valor da comida e do comer como fonte de prazer e saúde, em seu aspecto amplo: bem-estar físico, mental e social.” Saiba mais sobre Neusa e Bianca
0