Procrastinar, adiar, deixar para depois… Por quê?

fumar, tabagismo, cigarro
Como combater o tabagismo e estimular uma vida saudável
23 de outubro de 2018
Infinito, céu, subir
O que nos impede de sermos mais, de sermos infinitos?
30 de outubro de 2018
Mostrar todos

Procrastinar, adiar, deixar para depois… Por quê?

adiar, tempo

A palavra é no mínimo esquisita, mas significa tão somente adiar algo, deixar para depois. E por que deixamos algo para depois? Com certeza porque é algo que não é prazeroso, que não temos muita vontade  e nem entusiasmo em fazer, talvez seja algo que vá nos causar algum incômodo, irritação, ou que se for feito, poderá trazer um resultado contrário ao esperado, ao que gostaríamos, ou simplesmente a preguiça tomou conta de nós, e um dia a gente vai fazer.

Adiar algo pode nos fazer mais mal do que bem

A tarefa é chata; sei lá porque que deixamos para depois. O fato é que isso pode gerar stress, incômodo, podemos nos sentir culpados por não fazer algo que já podia ou já devia ter sido feito, mas vai saber porque ainda não fizemos? Talvez e tão somente estejamos agindo contra nós mesmos, nos sabotando, por medo talvez.

Adiar algo pode nos fazer mais mal do que bem, embora muitas vezes tenhamos a sensação de alívio por temos adiado algo que pode ser dolorido, como conversas por exemplo, decisões que podem mudar a nossa vida, finalizações de situações, coisas que nos causam desconforto e que preferimos não encarar no momento, deixamos para depois.

E o stress por adiar vai aumentando, e a sensação de fracasso e de se sentir inútil também, sem falar que nos sentimos covardes. Mas nem tudo que adiamos tem esse sentido. Arrumar o armário, por exemplo, é chato. Fazer os exames de saúde rotineiros, adiamos, um pouco por preguiça e achar que não precisamos e temos coisas mais importantes para fazer, outro pouco porque no fundo temos medo de não estarmos tão bem assim (melhor não saber), como pensam alguns.

Mudar as coisas é correr risco.

Mas e aqueles que adiam as coisas por medo de serem felizes? Sim, a felicidade pode causar medos e receios. Tem aqueles que estão tão acostumados a serem infelizes, ou com sua vidinha sem graça, que adiam coisas que sabem que os fariam felizes, coisas que dariam um novo colorido as suas vidas, afinal ser feliz também pode ser assustador, mudar o que está funcionando, mesmo que não esteja muito bom, é correr riscos.

Quem sabe um dia! Deixar para depois pode ser um problema bem mais sério do que parece, adiar as coisas pode nos fazer perder oportunidades, podemos ficar malvistos, como: “o cara das desculpas que só enrola e não faz nada”.

O assunto é tão sério que o empreendedor, autor e palestrante Christian Barbosa especialista em gestão do tempo e produtividade no Brasil, realizou com mais de 4 mil pessoas uma pesquisa em que perguntou: “você procrastina atividades ao longo da sua rotina?”. 97,4% dos entrevistados responderam “sim”.

Que angústias ou problemas estamos querendo esconder?

É claro que adiar as coisas de vez em quando é algo normal, todos fazem isso, mas quando isso começa a gerar problemas na nossa vida, quando começa a se tornar um recurso que utilizamos quando não poderíamos adiar algo realmente importante, é preciso olhar para nós mesmos com um olhar mais atento, de observador, e tentar descobrir o que está por trás disso. Que angústias ou problemas estamos querendo esconder com essa atitude de procrastinar tudo.

Na vida pessoal é normal que isso ocorra mais, porque só temos que dar satisfação a nós mesmos. Adiamos a ginástica ou a dieta, mas é só a nós que estaremos prejudicando, mas quando envolve a vida profissional, e a vida de outras pessoas que dependem às vezes de uma decisão ou de uma atitude nossa, algo a mais tem que ser feito.

Corremos o risco de termos a nossa saúde seriamente abalada por conta disso, pelo stress e desconforto que isso nos causa. Adiar é algo que todos nós fazemos. Usamos a velha desculpa da falta de tempo. Talvez esse seja um dos problemas. Temos que aprender a gerenciar melhor o nosso tempo, estabelecendo prioridades.

Vamos procrastinar menos?

Vamos tentar adiar menos, procrastinar menos e fazer mais. Parar de empurrar com a “barriga”. Como diz o velho ditado: Não deixe para amanhã o que você pode fazer hoje. Quando paramos de adiar algo e partimos para a ação, a sensação de alívio e realização toma conta da gente.

Amanhã pode ser tarde demais! Vamos nos ouvir, fazer silêncio, aliviar nossa mente dos problemas e pensamentos originados porque não fizemos, porque adiamos e não conseguimos relaxar, porque ainda falta fazer algo. A paz que tanto almejamos está em nós mesmos, estabelecendo prioridades, vamos realizando pouco a pouco o que tem de ser feito, sem angústias, e vivendo o momento presente.


Aproveite para ler: Coragem para agir com o coração


Cadastre abaixo o seu e-mail e receba os destaques do nCiclos

Mariene Hildebrando

Mariene Hildebrando

Natural de Porto Alegre, Mariene é advogada formada pela PUC-RS, professora de Direito e especialista em Direitos Humanos. Escritora nas horas vagas. Apaixonada por viagens, por pessoas, música e poesias. Adora escrever, trocar ideias e apostar no ser humano sempre. Ela que é mãe de duas meninas lindas (adultas já), acredita firmemente que o amor move o mundo e é só através de relações de amor e doação que conseguimos ser inteiros e mais felizes.

“Escrever é algo que me deixa muito feliz. Sou, professora, adoro dar aula, é algo que me desafia sempre, sou intensa e muito distraída”.

Saiba mais sobre Mariene

Mariene Hildebrando
Mariene Hildebrando
Mariene Hildebrando Natural de Porto Alegre, Mariene é advogada formada pela PUC-RS, professora de Direito e especialista em Direitos Humanos. Escritora nas horas vagas. Apaixonada por viagens, por pessoas, música e poesias. Adora escrever, trocar ideias e apostar no ser humano sempre. Ela que é mãe de duas meninas lindas (adultas já), acredita firmemente que o amor move o mundo e é só através de relações de amor e doação que conseguimos ser inteiros e mais felizes. “Escrever é algo que me deixa muito feliz. Sou, professora, adoro dar aula, é algo que me desafia sempre, sou intensa e muito distraída”. Saiba mais sobre Mariene
0