6 Principais fatores que dificultam a mudança de hábito!

Coaching – Como descobrir, construir e sustentar mudanças de estilo de vida
11 de julho de 2017
Atitude – fator determinante em nossas vidas!
13 de julho de 2017
Mostrar todos

6 Principais fatores que dificultam a mudança de hábito!

A mudança de hábito não é uma coisa simples. Os estudos demonstram que existem 6 principais fatores que dificultam o processo de mudar ou largar um hábito. São eles:

1 – Hábitos são comportamentos executados repetidamente e automaticamente; “força do hábito”:

Por definição hábitos, são comportamentos há bastante tempo instalado e que são repetidos sistematicamente (de forma padronizada) e automaticamente (sem pensamento consciente).

Os hábitos têm importância para economizar energia. Ou seja, uma vez acostumado, o organismo passa a gastar menos energia para executar a ação repetitiva e a guarda para outras situações. Por isso, a mudança de hábito exige uma alteração cerebral.

2 – Conhecimento não é suficiente:

Enquanto a informação é importante para a educação e conscientização dos consumidores, raramente é suficiente para mudar o comportamento. O simples fornecimento de informação não leva em conta as muitas influências complexas sobre o comportamento. O exemplo clássico é a caixa de cigarro onde vemos imagens horríveis e mesmo assim, temos milhares de pessoas fumando diariamente.

3 – Mudança de hábito requer tempo:

Vivemos em um mundo instantâneo e as pessoas não tem paciência para aguentar e esperar, porém a mudança de hábitos ocorre ao longo do tempo. De acordo com o Modelo transteórico de mudança comportamental (MTT) desenvolvido pelo psicológico americano Dr. James Prochaska, cessar comportamentos e adotar novos comportamentos envolve a progressão por cinco estágios de mudança (modelo transteórico de mudança comportamental):

Pré-Contemplação (não está pronto para mudar)

Contemplação (pensando sobre a mudança)

Preparação (verbaliza o desejo de mudar e iniciou a elaboração de estratégias)

Ação (realizando os primeiros passos em direção à mudança)

Manutenção (mantendo comportamento saudável por 6 meses)

Ou seja, a mudança de comportamento é uma jornada, não um destino.

4 – Nível de motivação:

Para conseguir uma mudança de hábito, é necessário um alto nível de motivação e baixa resistência. Para termos uma motivação forte suficiente para gerar mudança, precisa ser uma motivação que venha de dentro!

Existem dois tipos de motivações: intrínseca e extrínseca.

A motivação extrínseca tem origem em fatores externos ao indivíduo, por exemplo, recompensa monetária.

A motivação intrínseca tem origem em necessidades e fatores internos ao indivíduo. Ela está relacionada com a sua forma de ser, os seus interesses e os seus gostos.

Estudos mostram que têm mais sucesso para mudarem comportamentos os indivíduos que estão mais motivados intrinsecamente.

5 – Ambiente:

Mudar já é difícil e o ambiente físico e social pode dificultar ainda mais!

Ambientes de trabalho, familiares ou até espaço físico podem ser obstáculos para a mudança de hábito. Por isso importante identificar ambientes que possam estar dificultando na hora de largar um hábito.

6 – A recaída é uma constante:

Para a maioria das pessoas o processo de mudança de hábito não é linear, mas espiral, com diversas recaídas antes de alcançar mudanças permanentes de comportamento. É muito importante que a recaída seja vista como uma oportunidade para aprender em vez de motivos para desistir completamente dos esforços.

Leia também: A motivação que movimenta

Sharon Sarah Sachs Feder
Psicóloga formada pela Brown University (EUA) e Coach de Saúde e Bem-Estar. Sócia e diretora administrativa da Carevolution Consultoria em Saúde e Bem-Estar.

“Transformar a realidade que atuamos para incluirmos novos modelos de gestão de saúde que sejam mais eficientes, empáticos, mensuráveis e personalizados. ”

Saiba mais sobre Sharon

Sharon Sarah Sachs Feder
Sharon Sarah Sachs Feder
Psicóloga formada pela Brown University (EUA) e Coach de Saúde e Bem-Estar. Sócia e diretora administrativa da Carevolution Consultoria em Saúde e Bem-Estar. “Transformar a realidade que atuamos para incluirmos novos modelos de gestão de saúde que sejam mais eficientes, empáticos, mensuráveis e personalizados. ” Saiba mais sobre Sharon
//]]>